Manifestantes protestam contra PEC do Teto e Reforma da Previdência durante visita de Temer

10 de dezembro de 2016 10:17Comentários desativados em Manifestantes protestam contra PEC do Teto e Reforma da Previdência durante visita de Temer

Cerca de 150 manifestantes, entre estudantes e sindicalistas, realizaram ato em frente ao Banco do Nordeste, no bairro Passaré

A passagem do presidente Michel Temer por Fortaleza, nesta sexta-feira, 9, gerou protesto de movimentos sociais contrários à PEC 55, proposta em trâmite no Senado que limita os gastos públicos pelos próximos 20 anos, e reforma da Previdência. Cerca de 150 manifestantes, entre estudantes e sindicalistas, realizaram ato em frente ao Banco do Nordeste, no bairro Passaré, onde o peemedebista esteve e assegurou recursos para obras emergenciais no Ceará.

Universitários da Universidade Federal do Ceará (UFC), da Universidade Estadual do Ceará (Uece) e do Instituto Federal do Ceará (Ifce) compareceram ao ato. Entidades sindicais também estiveram presentes, como o Movimento por Uma Alternativa Independente Socialista (Mais).
O grupo protestou por duas horas, entre 15h e 17, gritando palavras de ordem e exibindo cartazes contrários ao presidente Michel Temer. Por cerca de 20 minutos, os manifestantes bloquearam a avenida Silas Munguba, em frente ao BNB, na altura da avenida Heróis do Acre.
Para o estudante da Faculdade de Educação (Faced) da UFC, Igor Maia, a PEC 55 traz riscos à assistência estudantil nas universidades. “Como estudante, a palavra que tenho é revolta. Meus pais são pobres, não possuem condições de manter dentro da universidade pública. Preciso de assistência dentro da universidade, que corre risco de ser cortada”, comentou.
O universitário também se mostrou preocupado com os investimentos na educação. De acordo com Igor, muitos estudantes terão seus sonhos de se formarem interrompidos por causa da PEC do teto. “Vai ter uma redução drástica (dos investimentos na educação). A classe pobre vai ter um grande impacto. Estamos revoltados com esse governo e queremos que a PEC não passe, que o Senado escute a população”, completou.
Força do protesto
A quantidade de pessoas presentes no ato desta sexta poderia ter sido maior. Manifestantes presentes no ato criticaram a falta de divulgação da agenda oficial do presidente Michel Temer. Integrante de um dos movimentos sociais no ato, Nerecilda Rocha acredita que isso atrapalhou o movimento.

“A imprensa não divulgou com precisão. A visita do Temer uma hora era no dia 8 e em outra no dia 9. Não existe divulgação da agenda oficial do presidente. Nesse sentido, tivemos dificuldades de organizar a manifestação. Mas, mesmo assim, pela indignação do povo brasileiro por esse governo ilegítimo, manifestamos o ‘Fora Temer’, contra a PEC 55 e a reforma da Previdência”, disse Nerecilda. “Sentimos que foi um pouco fraco porque a mídia não divulgou amplamente a agenda do Temer. Se diz que é um governo legítimo, por que o medo da população?”, questionou o estudante Igor Maia.

Próximo ato
Movimentos sociais organizam manifestação para o próximo dia 13. É esperado um maior número de participantes do que no ato desta sexta. “A tendência é que essa agenda (de mobilizações) cresça. Com essa reforma da Previdência, trabalhadores, movimentos sociais, a população de um modo geral já sinalizou que vai entrar nessas mobilizações. A manifestação do dia 13 está sendo organizada com antecedência. É provável que tenhamos uma mobilização forte”, contou Nerecilda.

Princípio de tumulto
Manifestantes faziam o bloqueio da entrada do Banco do Nordeste, quando um carro da Polícia Militar (PM) tentou entrar no local. No momento, houve um princípio de tumulto entre os participantes do ato e policiais militares, que queriam realizar a entrada no prédio. Os PMs acabaram desistindo da ação e ouviram gritos como “sem violência” por parte do grupo contrário ao governo Temer.
Redação O POVO Online

Tags:

Os comentários estão fechados